quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Sociedade civilizada, será mesmo?

Olá a todos, já estamos na quinta-feira e próximos do final de semana; a cabeça já começa a planejar os programas de sábadão! Pessoal hoje o post vai ser singelo mas importante, vamos refletir acerca do exercício de cidadania no Brasil. Esse assunto está em alta na mídia e todos nós precisamos analisar nosso modo de vida e comportamento.


Como todos já sabem, em sou baiano e resido na capital, Salvador. Costumo afirmar que nós não somos a capital da "boa educação". Não se assuste, apesar disso, Salvador é uma cidade linda, quente e com belas paisagens. Mas com certeza os cidadãos "cabularam" a aula de ética, pois o que vejo na rua cotidianamente são reflexos de uma população mal educada e despreocupada com a cidadania. Durante os meus "desvaneios" de observação já pude perceber atitudes bárbaras que são praticadas aqui com naturalidade.


Vou começar com o comportamento do motorista no trânsito. Na Bahia (em sempre digo isto) os motoristas, em geral, são super mau educados. Eles ultrapassam o sinal vermelho do semáforo (até os motoristas profissionais, como taxistas e motoristas de ônibus coletivo), não param na faixa de pedestre, buzinam demasiadamente sem necessidade e, o que é pior, escutam músicas altíssimas (vc não tem idéia do volume do som de alguns carros aqui). Mas se vc repreender algum deles, prepare-se: ou vão afirmar que estão agindo corretamente (se forem educados) ou mandar um palavrão na sua "cara" dizendo que vc não tem nada com a vida deles (esta é a reação mais comum tá). Não posso afirmar quanto as demais metrópoles brasileiras, mas o trânsito em Salvador deve ser um dos piores do Brasil.


O pedestre (ou cidadão comum) também não deixa barato. Aqueles que transitam "à pé" pelas ruas dão show de falta de educação quando o assunto é respeitar as leis. É possível vermos inúmeros episódios de pessoas negligenciando as leis ou, no mínimo, agindo desonestamente. Costumo afirmar que as pessoas acham que ilegal é apenas matar e roubar (este último é relativo na opinião de alguns). É pensando assim que maioria das pessoas mantém a consciência "limpa" quando desobedecem a ordem da fila, ficam com o troco errado, se sentam no lugar preferencial de idosos e gestantes mas não se levantam ao ver um deles em pé ou oferecem propina em troca de algum favor.


Os brasileiros são um povo lindo e super simpáticos, só nos resta agir com cidadania e gentileza para com o próximo. O problema é que as pessoas não veem vantagem em ser educados e cordiais, ou em cumprir regras ou seguir leis. É mais vantajoso dar aquele velho e vergonhoso "jeitinho brasileiro" e levar a vida achando que a impunidade não existe na própria consciência.


Fico por aqui galera, espero que tenham refletido comigo sobre a importância de sermos cidadãos e agirmos conforme pessoas civilizadas.


Abraços

3 comentários:

Queila disse...

Oi, primo.
Coleboração grandiosa. Realmente essa reflexão é necessária e atual.
Creio que exista mais um prisma de análise aí. É preciso atentar que tudo isso faz parte de uma raiz chamada cultura, e a raiz da cultura brasileira, para mim, é o grande celeuma.
A convivência harmoniosa com o nosso próximo é realmente importante. Meu pai sempre me diz que se eu não quero dar satisfação nem me obrigar com o outro de qualquer maneira, que vá viver numa ilha deserta (rs). É exatamente por aí. Parecem que alguns se julgam auto-suficientes, não precisando, portanto, de ninguém e em momento algum. Esquecem que vivem em coletividade, e essa é uma realidade inevitável.
Um pouco de civilidade, de boas maneiras, de gentileza, não faz mal a ninguém, nem arranca pedaço (como dizem por aí). E ainda é capaz de tornar nosso dia bem mais agradável...
Beijo enorme!!!
Queila

Katinha disse...

Bom, esse não eh um mal exclusivo da Bahia... saí de Sao Paulo fugindo de transito e falta de educaçao e chego em Teresina no reduto da barbeiragem (é serio, ainda descubro onde é a venda coletiva de cartas,rs) e falta de educaçao. Onde o lema: "Pé na faixa, pé no freio", virou "Pé na faixa, pé na cova". Ou seja, nao eh um problema da Bahia, mas sim de brasileiros, a lei do "eu" primeiro é soberana aki, infelizmente...

Obs.: Agora q gostei do blog vou sempre estar aki...=)

Saul Pires disse...

Olá Queila e Katinha...

Realmente concordo com as duas opniões. Cheguei a conclusão de que o problema de "falta de educação coletiva" é cultural entre os brasileiros em geral. Só nos resta seguir a vida tentando tornar as coisas melhores!!
Obrigadíssimo pela participação de vcs, espero vê-las sempre por aqui!
bjs

Postar um comentário