terça-feira, 17 de novembro de 2009

Digo não ao lixo!

Aeee pessoal boa noite!! São quase 23:30, beirando quarta-feira (metade da semana... aff!! ) e ainda temos que esperar mais 3 dias pro final de semana! Do lado de cá, a semana vai indo tranquila e sem muita agitação. Estou aprendendo bastante nos últimos dias: aprendendo novos conceitos, aprendendo novas pessoas, aprendendo novos comportamentos; enfim... aprendendo (ahh se eu ganhasse R$0,10 pra cada coisa que aprendesse...).
O aprendizado é uma constante na vida de pessoas racionais, eu costumo dizer que é um processo bilateral - sempre. Todos os seres (mesmo os "não-humanos") são capazes de aprender algo, útil ou inútil, independente de qualquer situação; tudo depende de sua motivação por saber!

Hoje vamos refletir um pouco acerca do aprender, mais especificamente a intelectualidade. Tenho certeza que vcs devem estar pensando que vou escrever acerca de pensadores renomados ou cases de sucesso no mundo acadêmico - NÃO. Eu vou falar sobre o lixo intelectual, a praga das nossas ruas.
Com a democratização da tecnologia (mais uma vez tocando no assunto, é inevitável tá galerinha) as pessoas, em geral, se sentiram mais à vontade para expressar seus pensamentos e valores em público. Muitas pessoas se expressam anominamente, com classe e destreza (como eu... não tão anômino mas "classudo"! huahuahua... risada esnobe) mas outros "seres", a maioria posso afirmar, preferem utilizar métodos mais populares e menos inteligentes. Podemos classificar esses métodos como "lixo intelectual".
Você deve estar se questionando o que quero dizer com a expressão "lixo intelectual". Eu a ouvi pela primeira vez através de palavras sábias de um colunista de rádio e TV (não vou fazer o merchan dessa vez!). Trata-se do hábito de ouvir músicas desorientadas socialmente e sem propósito cultural, assistir folhetins televisos nada inteligentes, conversar assuntos nada construtivos e pouco educados e por aí vai. Depois de pensar um pouco (só um pouco mesmo) eu concordei com o termo e adicinei-o ao meu vocabulário; vou explicar por que.
Analisando friamente a expressão divulgada pela figura, eu vi que algumas pessoas (pelo menos os brasileiros e baianos) se deleitam ao escutar músicas cujas letras são carregadas de "quartas intenções" (se é que podem me entender) e nada construtivas. É incrivel como alguns seres "pensantes" conseguem extrair prazer e desprender horas do dia escutando músicas com termos de baixo calão, contendo expressões vulgares que fazem apologia à desordem social, ao sexo e ao consumo de drogas. Fico contente quando passo pela rua e escuto alguma "canção" popular destas que seja, no mínimo inútil. É realmente lamentável concluir que indivíduos pensantes (infelizmente eles pensam) patrocinam esta desvalorização do que é inteligente, do intelectual.
Como se não bastásse, estamos cercados por uma programação televisiva recheiada de bobagens que levam a lugar nenhum. As pessoas normais (como eu, claro) são obrigadas a zapear o tempo todo ou parar pra assistir a um canal de compras, simplesmente por que não temos um programa que valorize o intelecto humano. Somos forçados a ver programas classificados como infantis encherem a cabeça das crianças de bobagens e outros humorísicos que cultivam a inutilidade na mente das pessoas, divulgando um puro besteirol. Enquanto que os programas realmente construtivos são apresentados em horários ruins, como o Programa do Jô (agora faço merchan com prazer... "beijo do gordo").
Enfim (vou resumir o raciocínio por que já estou com sono) tenho certeza que vc já presenciou atitudes como estas que eu descrevi e a partir de hoje também irá classificá-las como "lixos intelectuais". Cabe a nós (seres normais e pensantes) nos opor à este "emburrecimento" coletivo e cultivarmos hábitos culturalmente saudáveis. Não sou contra a rirmos com um bom "besteirol" nos momentos de descontração, desde que seja com um conteúdo realmente inteligente e não puramente comercial. Também não tenho preconceitos ligados à estilos musicais, desde que os autores e intérpretes usem seus talentos para a erradicação da burrice na sociedade, como já fazem alguns artistas e intelectuais.

Galera fico por aqui, to caindo de sono e tenho que acordar daqui algumas horinhas. Vou indo, espero que tenham curtido e pensado comigo! Comentem pelo amor de sua mamãe...


Abraços

2 comentários:

Katinha disse...

Tem um outro lado tbm... O lixo televisivo.. comercial e musical a que estamos expostos tds os dias é mais facil do que optar por algo inteligente ou pelo menos pensante... O mal atual é a preguiça msm...


bjos

♥♥♥ Carol Pessôa ♥♥♥ disse...

Ihhh, demorôôÔÔ! Criei o Projeto Reciclart, que surgiu de um projeto acadêmico e já está maturando para se tornar algo gigantesco. O trabalho é feito em comunidades, com o apoio da iniciativa privada. Ajude a divulgar! E qdo vc puder, dá uma olhadinha:
www.projeto-reciclart.blogspot.com
Beijo (pelo amor da minha mãe...rs)!

Postar um comentário