domingo, 8 de novembro de 2009

Feio ou Bonito... vc é quem decide!

Boa tarde pessoal... estou aqui em pleno domingão, ouvindo música "baixo astral" da vizinhança e descançando o quanto posso. Curti muito meu sabadão, fui à uma praia linda, vi lugares encantadores, tirei fotos maravilhosas e vi muita gente bonita (outras nem tanto...rs) tudo isso, claro, com a presença da priminha fofa tão mensionada nos posts.
Hoje quero escrever sobre um assunto tão cotidiano que muitas vezes passa despercebido por nós - a beleza. Você já deve ter feito algumas destas perguntas: o que é o belo? o que é o feio? quem determina essas regras? Com o decorrer do post vamos discutir um pouco sobre este assunto e eu vou tentar mostrar a vocês uma percepção diferente das convencionais.
Eu costumo afirmar que o belo é relativo, está na opinião de cada indivíduo. Prova disto é que umas pessoas acham lindas as obras de Picasso, outras não conseguem entender sequer o significado dos riscos e rabiscos; há pessoas também que se deleitam, apreciando música clássica e outras que enxergam beleza nos pagodões (eu não consigo ver nenhuma no último..kkk). Tudo é uma questão de relatividade quando o assunto é beleza e, portanto, resta a cada um respeitar a diversidade.
Acredito que a beleza vem da própria pessoa e do que ela tem de auto-estima (tudo bem que tem gente que não é linda nem por dentro). Quando o indivíduo apresenta uma auto-estima boa, ele se encara lindo (mesmo que o espelho diga ao contrário) e mostra a todos que está "de bem" consigo. O "amor próprio" é o grande aliado de todos nós; eu conheço pessoas que não são esteticamente atraentes mas têm uma energia maravilhosa e conseguem contagiar o ambiente, provando que são belas. Quando nos aceitamos e encaramos o espelho, nos tornamos pessoas felizes e este sentimento faz qualquer pessoa bela (mesmo que não seja atraente).
O problema reside em não se aceitar e tentar mudar seu próprio eu. Conheço pessoas que tentam, a qualquer custo, mudar a si próprio, acompanhando os padrões de beleza estipulados pela mídia. Na tentativa de se tornarem "lindas", algumas pessoas se multilam, fazem "zilhões" de cirurgias plásticas, consomem drogas, desenvolvem hábitos perversos com o corpo e, até mesmo, comportamentos doentios. Todos se lembram de casos trágicos em que modelos morreram de anorexia ou outras disfunções alimentares que surgem no esforço de ostentar um estereótipo comercializado e aceitável pela opinião pública.

Por outro lado, é sempre importante nos mantermos com uma aparência boa e saudável, independente da condição social ou poder aquisitivo. Estar bem vestido, cheiroso e "bonitinho" é sinônimo de amor-próprio, mas não siginifica a obrigatoriedade de ser magro, esbelto e bulêmico. Eu sempre digo que devemos nos preocupar com a aparência, pois esta é a vitrine pessoal, isso chama-se marketing pessoal. Através de uma boa aparência você "promove" sua personalidade, saúde, profissionalismo e auto-imagem, conquistando um novo emprego ou até mesmo uma nova namorada (ado). Por isto é sempre importante estar "de olho" nas tendências de moda, ter estilo próprio e auto-estima elevada; tomando cuidado sempre com os exageros, que nunca são sadios e lucrativos.



Fico por aqui hoje, espero ter transmito com clareza a minha opinião sobre o assunto. Peço que comentem, caso tenham algo a acrescentar ou diminuir!
Boa semana a todos, e boa sorte.

Um comentário:

edcelia disse...

comentário verdadeiro e super construtivo,bjs sucesso no seu blog

Postar um comentário